quarta-feira, maio 23, 2007

Verdades

Muita gente nem imagina o quanto um sagitariano é sensível e delicado em sua essência. Será que nós deixamos? Sempre tão poderosos, inteligentes, seguros e independentes, desbravando campos em cima de cavalos quase selvagens. Cabelos ao vento, certezas no horizonte, liberdade estampada no peito. Mas lembra também como é bom quando a barulheira toda do mundo pára, a gente se joga na grama e fica ali admirando céus azuis ou incontáveis estrelas? Quando a pressa se perde no caminho e a correria desvairada do coração entrega os pontos e se acalma? Quando as perguntas param de fazer eco e encontramos a paz do nosso silêncio?

Nenhum comentário: