domingo, novembro 04, 2007

Incertezas e liberdade

Na maioria das vezes, quando os planos aos quais nos dedicamos com apreço não dão certo, disparamos uma série de xingamentos e reclamações. Alegamos que nos matamos de trabalhar, que pensamos em todos os detalhes, que fizemos tudo direitinho e que, portanto, não é justo o ocorrido. Muitas vezes, porém, estivémos o tempo todo mais preocupados em controlar a situação, calculando o movimento das demais pessoas envolvidas e idealizando o resultado final, do que entregues à execução dos nossos planos, da nossa parte, uma coisa de cada vez. Planejamos mais do que vivemos. E planejar é algo um pouco diferente de tomar as medidas necessárias para fazer algo acontecer. Quando abrimos espaço para o novo e também para os erros, quando vivenciamos cada etapa do caminho com inteireza de corpo e espírito, abrimos mão do controle e nos abrimos também para a incerteza. Pode parecer contraditório, mas é a incerteza que nos traz confiança. O controle que tanto buscamos é sempre ilusório, pois está no mundo externo, onde as variáveis são inúmeras, não é possível se obter garantias. A própria idéia de controle traz consigo a insegurança, o medo do descontrole. Entregar-se às incertezas é uma demonstração de fé. É como dar um passo no escuro, onde somente a fé pode nos guiar. E, apenas quando damos este passo, sentimos a real força da liberdade, da paz, do amor.

Nenhum comentário: