sexta-feira, dezembro 12, 2008

assim

E ela é assim. Ora frágil, precisa de cuidados. Tem dúvidas e fica quietinha, só observando. Precisa do seu braço forte, do seu olhar, precisa que segure a sua mão. Gentil, delicada, pequena. Quer olhar para dentro. Basta presença e calor.

Ora forte, sai desbravando a mata com seu facão. Mesmo com algum medo, segue em frente pois confia. Já não precisa de muita coisa, apenas quer. Quer muito. Segura, livre, alegre. Grande. Quer conhecer o mundo. Aguenta a brisa gelada pois o peito ferve. É só cuidar de suas asas para que ela possa voar, possa ir e voltar.

*

2 comentários:

Marina disse...

Ai que lindoooo sabe que sou como a pessoa desse texto?? Ora meiga e quietinha... ora saio por ae tentando descobrir um mundo novo querendo mudar o mundo antigo...

Lindo texto...

Sem mais
Mari

Pavón disse...

Medrosos e temerosos somos todos, mas nada como um apoio e empurraozinho para sentirmos a liberdade de volta.

Mas o mais importante é saber que depois de cada voo, podemos compartilha-lo com alguem...

Beijooooo!