domingo, dezembro 07, 2008

Enquanto


É de uma beleza tão delicada o "infinito enquanto dure"...
Aquele da presença plena, da entrega confiante.
Encantamento consciente ao qual a gente dá autorização com carta branca.
Momentos de magia permitidos aos de coração puro.
Realidade fora do tempo. Coisas do sentir.
Ah, a contagem aqui é outra.

Foto: CasheeFoo 

*

Um comentário:

Autor disse...

Tenho mania de viajar lendo textos alheios... Peço licença poética e internamente mudo o que quiser, até arrancar de mim mesmo um sorriso.
Com licença, Dani !

Eu imaginei assim: "Sentir, senti, sentir, senti..."
Afinal, o que seria do "tic" sem o "tac" ?

Chega por hoje. Deixa eu voltar pro meu mundo...

Fica bem !

Saudações fraternais,
Fabio.