terça-feira, janeiro 13, 2009

As minhas e as suas

Ela arregalava os olhos e apertava a mão dele com mais força. Ele achava graça dos sustos que ela levava no meio do filme. Entre um e outro, ela pedia a manteiga de cacau emprestada e olhava para ele sorrindo. Ele, cúmplice, sorria de volta feito menino, era a sua vez de apertar a mão dela.

2 comentários:

Tata disse...

vaivém mais delicioso... :-)

Elenita Rodrigues disse...

que lindo.... vou roubar :)