quinta-feira, setembro 17, 2009

do avesso

eu juro que me esforço para falar a mesma língua que as pessoas. um esforço gigante, ininterrupto, feroz e feliz até. mas não tenho tido muito sucesso. troco as palavras, erro no tom, falo em hora imprópria, deixo de falar quando devia, atropelo, ou quando a coisa empaca, fico sem saber o que fazer e saio pela tangente. ninguém ou quase ninguém me entende, a não ser naqueles poucos momentos em que parece até que estou em outro planeta, onde tudo é simples, onde há uma paz e uma alegria enorme, onde nos entendemos todos, nos arroubos ou nos silêncios, principalmente nos silêncios, nos entendemos sempre.

5 comentários:

Belle disse...

AAAAAAAAAA Dani, problema de quem não te entende!!!
Viva dessa forma, e seja feliz!!!
Bjossssssss

Fred Matos disse...

a compreensão não é, de fato, um atributo abundante na espécie humana. ótimo texto. belo blog.
beijos

Dani disse...

Oi, Belle! Ah, querida, talvez seja isso mesmo. E o outro lado também tem que "querer" entender, não é? Obrigada! :)
Beijo!

Verdade, Fred! Seguimos a vida toda tentando acertar nessas coisas! rs... Alguns raros e belos acertos! Beijos

Manú disse...

As vezes sou como vc.
Ou não me entendo
ou não me faço entender.

Adorei o blog.

Volto.

Posso?

Dani disse...

Olá, Manú, super bem-vinda!
Claro que pode, deve! :)