segunda-feira, maio 03, 2010

autobiografia em 5 capítulos

1. Ando pela rua.
Há um buraco fundo na calçada.
Eu caio...
Estou perdido... Sem esperança.
Não é culpa minha.
Leva uma eternidade para encontrar a saída.

2. Ando pela mesma rua.
Há um buraco fundo na calçada.
Mas finjo não vê-lo.
Caio nele de novo.
Não posso acreditar que estou no mesmo lugar.
Mas não é culpa minha.
Ainda assim leva um tempão para sair.

3. Ando pela mesma rua.
Há um buraco fundo na calçada.
Vejo que ele ali está.
Ainda assim caio... É um hábito.
Meus olhos se abrem.
Sei onde estou.
É minha culpa.
Saio imediatamente.

4. Ando pela mesma rua.
Há um buraco fundo na calçada.
Dou a volta.

5. Ando por outra rua.



extraído de "O Livro Tibetano do Viver e do Morrer"
Sogyal Rinpoche – Editora Talento/Palas Athena

4 comentários:

rawane kellyn disse...

As vezes demora um pouco para nos desviarmos dos buracos que aparecem no nosso caminho, parece que se torna um hábito e quando vemos estamos denovo caidos neste mesmo buraco, até que um dia depois de quebrar a cara varias vezes, tomamos coragem e a decisão certa, e assim então mudamos a nossa trajetoria!

adorei o blog
to seguindo

grandebeijo *:

Bebel Vazquez disse...

Aff, já no primeiro buraco processava a prefeitura!! hahahahaha!!!
Beijos!

Luciane Slomka disse...

esse livro é brilhante. e tu foi também ao postar esse trecho aqui!!! Copiei!

Beijao!!!

Dani disse...

é, Rawane, às vezes demora um tanto, mas aos pouquinhos a gente vai aprendendo!
super bem-vinda na Roda! beijão

rs... boa, Bebel!!!

é muito bom, né, Lu?! beijos!