quarta-feira, maio 23, 2012

dos desencontros

ele ficara indignado com a fala dela.
uma ousadia, pensava.
mas o que mais doía nele era achar que perdera sua admiração.
um engano, na verdade, como tantos outros, mas era o que ele acreditava.
bastava, já não era mais possível.
se sentia diminuído, um miserável. não conseguia mais olhar nos olhos dela.
aquelas palavras martelavam sua cabeça a cada vez que se cruzavam no corredor e o coração pesava.
a mente entorpecida passou a dominar tudo.

Nenhum comentário: